sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Conexão: Aeroporto de Detroit



Quem viajar com a companhia aérea Delta para Orlando, precisará fazer uma conexão em Detroit no estado de Michigan. O aeroporto é um dos mais modernos do país composto por seis pistas, 158 portas de embarque, um hotel, lojas, restaurantes e muito conforto. Na nossa última viagem, nós passamos por esse aeroporto e vamos contar a nossa experiência nessa postagem. 

Imigração 

Após a chegada do nosso voo, tivemos que esperar dez minutos dentro do avião, pois a área de imigração não estava aberta. Passado esse tempo, fomos liberados. A imigração é muito organizada. Uma funcionária norte-americana que falava português direcionava o caminho e gritava a seguinte frase. "Atenção! Quem possui visto de turismo, pode optar por utilizar os totens ou as cabines". As cabines são as tradicionais onde funcionários realizam entrevistas. Os totens começaram a ser implantados em 2014 por todos os EUA e é um controle de passaporte automatizado. Nada mais são que quiosques que escaneiam a página de identificação e de visto, coletam fotografia e digitais e ao final emitem um recibo. (irei explicar melhor a utilização do totem em uma postagem exclusiva). No recibo, aparecerá a sua foto com um certinho ou um X. Meu pai e meu irmão, receberam um X e  por causa disso, eles tiveram que passar por um guichê para responder algumas informações adicionais daquelas que respondemos no quiosque digital. Nada de mais, uma entrevista de praxe realizada na imigração. 

Caminho para os portões 


O McNamara é o maior, dividido em saguões e conectados por um monorail 

O aeroporto de Detroit possui dois terminais: McNamara e o Terminal North que não são interligados. O primeiro é o maior, onde aterrizam e partem voos da Delta e parceiras. O North fornece as demais companhias. E por não serem interligados, se você precisar trocar de terminal, terá que se direcionar para o Ground Transportation e pegar um ônibus gratuito até o outro terminal.

Após a imigração, pegamos nossas malas nas esteiras e seguimos para os portões de embarque. Como era uma conexão com a Delta, não precisamos trocar de terminal. Nós fomos para o 3° andar que era o que estava aberto (quando há muito movimento que há uma liberação do segundo andar). No caminho para o raio-X, entregamos nossas malas. E não fique espantado! É só um ponto para entrega de malas para conexão, uma esteira com dois funcionários. Você só entrega e confia! (achamos muito estranho). 

Logo em seguida, passamos pelos procedimentos de segurança, o raio-x. Pronto! Só faltava encontrar o portão. Como tínhamos duas horas, resolvemos passear. 

O Terminal McNamara



Esse terminal é dividido em três saguões (concourse A, B e C) conectados por um trem, tipo o monorail da Disney. Se não quiser ir de trem, pode optar por pegar umas das esteiras rolantes que ficam em um túnel com luzes e que acaba sendo uma atração à parte. O nosso portão era no saguão A com um chafariz ao centro e algumas lojas e restaurantes. Há opções para lanches, café, lojas de acessórios e até um SPA, um local para relaxar. Você pode conferir todos os serviços disponíveis no aeroporto, nesse link.  Já vou adiantando, tem Subway, Starbucks e McDonald's 😀



Depois, sentamos nas cadeiras para aguardar o embarque (e que conforto). Todas estofadas e com carregadores de celular disponíveis. Gostamos muito desse aeroporto. Você já fez conexão nele? Conte para a gente. 😃

Nenhum comentário:

Postar um comentário